Viagem à Amazónia 2005

 

30 de Julho a 13 de Agosto de 2005

 

    Como vem sendo hábito, a nossa viagem começou via uma cidade de ligação no Nordeste Brasileiro, este ano a eleita foi Fortaleza, capital do Ceará. Chegamos por volta das 20h no dia 29 de Julho e se pretendíamos uma noite descansada após o voo internacional enganamo-nos, pois chegamos a Fortaleza em pleno Fortal o Carnaval tardio de Fortaleza, são 3 dias de folia.

    Mas enfim lá deu para descansar um pouco apesar de lá em baixo a animação e o trânsito caótico aliados a este festival, ecoasse por toda a avenida em frente ao mar onde se localizava o nosso hotel.

    No dia seguinte embarcamos para o voo de ligação Fortaleza-Cuiabá, onde chegamos por volta das 12h para de seguida fazermos o trajecto em direcção à Amazónia por autocarro. A viagem é longa mas permite observar a paisagem, alguma da fauna local e conviver com os locais, uma experiência sempre gratificante.

    Chegamos em Alta Floresta, já em plena Amazónia, passava da meia noite e pernoitamos no belo hotel da cidade. No dia seguinte tivemos o nosso primeiro ponto alto da viagem, um encontro raro com a Harpia, uma das maiores águias do mundo, foi emocionante.

    Este encontro só foi possível pois em Junho tinham descoberto na reserva florestal da cidade, junto ao hotel, um ninho activo da ave com a cria. Parece estranho e irónico que uma ave tão rara e perseguida, escolhesse para sua casa uma zona nos limites da cidade e não na selva remota e intocada que se encontra a escassos 40 km dali.

    Depois de umas braçadas na piscina e um almoço reconfortante, estávamos preparados para a ultima etapa da nossa viagem, trata-se de um percurso de 2h horas de jipe em estrada de terra batida mais 1h de barco rio acima, até chegarmos à reserva onde ficaremos alojados nos próximos 8 dias.

    Foram dias espectaculares, com muita fotografia à mistura ou não tivesse este ano sido uma viagem maioritariamente de fotógrafos. A comida como sempre estava deliciosa e o atendimento foi impecável.

    Este ano parece que foi o “ano dos macacos”, avistamos 5 espécies diferentes das quais conseguimos excelentes fotografias: Saguis, Macaco Uivador, Macaco Aranha, Macaco capuchinho e Macaco Cuxiu (raro).

    Entre as demais espécies avistadas de mamíferos tivemos: Lontras, Tapires, Agutis, Capivaras e um encontro espectacular com um Veado Mazma que passou a escassos 5 m de nós.

    Quanto a aves a lista é longa, mas contam-se diversas espécies de: Araras, Papagaios, Periquitos, Tucanos, Mutuns, Colibris, Jacutingas, guarda Rios, Íbis, aves de rapina destacando-se a Harpia e etc.

    Também não faltaram: Jacarés, Anacondas, Iguanas, Rãs e dezenas de Borboletas e outros insectos.

    De premeio em toda esta actividade os banhos de rio nas horas de maior calor eram sempre excelentes.

    Este ano especialmente tivemos um por e nascer do sol deslumbrantes, captados muito bem pelas nossas objectivas.

    Foram 8 dias de muita actividade e de oportunidades excelentes para fotografias.

    No fim de regresso a Alta Floresta, visitamos novamente a Harpia, além de observamos outros animais na pequena reserva da cidade, mas que mesmo assim alberga uma grande diversidade de fauna e flora. Pernoitamos em Alta Floresta para no dia seguinte iniciarmos o nosso regresso, primeiro via autocarro até Cuiabá, onde tivemos um dia inteiro para conhecer a cidade e fazer algumas compras.

    Pernoitamos em Cuiabá e na manhã seguinte voamos até Fortaleza de novo, onde passamos a tarde, para depois embarcarmos no nosso voo nocturno de regresso ao Porto, onde chegamos no dia 12 de Agosto pelas 11h.

    A Amazónia é um bichinho que morde e deixa marcas permanentes, é impossível resistir a tamanha beleza e diversidade, é por isso que volto constantemente a esse paraíso. Por isso estejam atentos às próximas viagens que certamente serão organizadas para essa zona da terra.

Paulo Anjo